OS 69 ANOS DE RILDO – ÍDOLO DÉCADA DE 60

2 comments

Posted on 22nd janeiro 2011 by Profº Izaias in Botafogo Memória |Santos Memória

, ,

Por Izaias Nascimento

RILDO EXTRAORDINÁRIO JOGADOR DE BOTAFOGO E SANTOS

O Instituto Mais Memória congratula o extraordinário lateral RILDO,  de destacadas atuações por Botafogo e Santos na década de 60.  Ídolo das duas torcidas, notabilizou-se também na Seleção Brasileira, onde jogou a Copa de 1966. 

RILDO DA COSTA MENEZES, nasceu em 23 de janeiro de 1942, em Recife. Iniciou a carreira no Ibis, depois passando ao Sport Recife.

No Botafogo chegou no início dos anos 60, ficando inicialmente na reserva de Nilton Santos.  Depois, porém, o Enciclopedia do Futebol foi jogar na quarta zaga, criando as condições para que Rildo se consagrasse no time da estrela solitária. Botafogo. Na foto Rildo outra autografa a camisa do Prof Izaias.  Fotos: Mais Memória.

RILDO NO BOTAFOGO anos 60 – Em pé: PAULISTINHA, MANGA, NILTON SANTOS, AIRTON, RILDO.  Agachados: GARRINCHA, EDSON, QUARENTINHA, AMARILDO E ZAGALO.

Bi-campeão carioca de 1962, que conquistou a vaga para a Libertadores de 1963, com o vice-campeonato da Taça Brasil: Em pé: Paulistinha, Manga, Jadir, Nílton Santos, Aírton e Rildo. Agachados:  Garrincha, Edson, Quarentinha, Amarildo e Zagallo.

Rildo, Amoroso e Manga carregam Garrincha após mais um triunfo do Botafogo.

Pelo Botafogo foi campeão carioca em 1961 e 1962.  Campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1964, além de inúmeros títulos internacionais.

Pelo Santos tem dentre seus destacados títulos: Campeão paulista de 1967, 1968 e 1969.  Campeão Brasileiro (Roberto Gomes Pedrosa) em 1968, Recopa Sulamericana fem 1968 e Recopa Mundial em 1968.

Crédito: Gazeta Esportiva – Brasil em 1965. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando, Rildo e Dudu; agachados: Garrincha, Ademir da Guia, Flávio, Pelé e Rinaldo.

Brasil 1 x 3 Portugal. Copa de 1966 - Em pé: Orlando, Manga, Brito, Denílson, Rildo e Fidélis. Agachados: o massagista Mário Américo, Jairzinho, Lima, Silva, Pelé e Paraná.

Santos 1968. 

Crédito Blogs Roberto Porto e Milton Neves. Brasil 6 x 0 Venezuela em 1969 – Eliminatórias Copa do Mundo. Em pé :Carlos Alberto Torres, Félix, Djalma Dias, Joel Camargo, Piazza e Rildo. Agachados:  Jairizinho, Gérson, Tostão, Pelé e Edu.

Rildo e Pelé participando do clássico maior dos anos 60. Botafogo x Santos.  Entrevista ao lendário jornalista Reali Jr.

Rildo jogando pela Seleção Brasileira.

Santos Campeão Paulista em 1967.

Rildo, Amarildo, Junior (abraçado a Nilton Santos), o aniversariante e Zagallo.  Aniversário de Nilton Santos.

Rildo e o Professor Izaias Nascimento na Feijoada do Fogão 2010.Foto Mais Memória: Feijoada do Fogão/2010.

RILDO, Zagallo e Amarildo, companheiros de Botafogo e Seleção Brasileira.  Foto Mais Memória: Feijoada do Fogão/2010.

Rildo depois de jogar no Santos, passou uma temporada no Vila Nova, depois no CEUB de Brasília e terminou a carreira no Cosmos de Nova York com Pelé, Beckembauer, Carlos Alberto Torres e outros craques.

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA – RESPEITO AO BRASIL

 

 

BOM DE BOLA, BOM DE SAMBA – RADIO TAMOIO RJ

0 comments

Posted on 22nd janeiro 2011 by Profº Izaias in Eventos

, , , , ,

Por Izaias Nascimento

O Programa Bom de Bola, Bom de Samba comandado por Carlos Alberto Parizzi terá sua segunda edição, na próxima segunda-feira, dia 24 de Janeiro, na Rádio Tamoio 900 AM RJ, a partir das 20h00.

Partipações de:

- Jairzinho – tricampeão 1970, falando de suas atividades em programas sociais e do futebol em geral.  Campeonato Carioca e Seleção Brasileira serão  temas abordados pelo Furacão 70.

-Conjunto Exporta Samba, com a participações de Beijoca, Betão e Evandro, lançando o CD 40 Anos de Reunião de Bacana.

Participações especiais de Waltinho Honorato e Professor Izaias Nascimento.

Sorteio de brindes.  Participação dos ouvintes.

bomdebolabomdesamba@hotmail.com

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL

0S 73 ANOS, DE ALTAIR BICAMPEÃO MUNDIAL EM 1962 – ENTREVISTA

9 comments

Posted on 21st janeiro 2011 by Profº Izaias in Fluminense Memória |Futebol Memória

, , ,

Por Izaias Nascimento

O Instituto Mais Memória homenageia o fabuloso Altair – bicampeão mundial em 1962, consagrado zagueiro do Fluminense, chamado carinhosamente pelos amigos de ” magro”.

ALTAIR GOMES DE FIGUEIREDO nasceu em Niterói, em 22 de janeiro de 1938 e já em 1956 integrava-se ao Fluminense, realizando uma trajetória extraordinária de conquistas. 

Títulos pelo Fluminense

- Campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1957 e 1960.

- Campeão Carioca em 1959, 1964 e 1969.

- Campeão da Taça Guanabara em 1966 e 1969.

Pela Seleção Brasileira ALTAIR atuou de 1959 a 1966 em 22 partidas. Na Copa da Inglaterra em 1966 atuou contra Bulgária com vitória de 2-0 gols de Pelé e Garrincha e na derrota para a Hungria por 3-1.

.

Altair na formação do jogo contra a Hungria em 1966,  Bellini, Gilmar, ALTAIR, Djalma Santos, Lima, Garrincha, Jairzinho, Tostão, Paulo Henrique, Alcindo  e Gérson.

Conversamos com Altair com o intuito de homenageá-lo no espaço do Mais Memória.  A conversa ocorrreu em 08 de janeiro de 2011 e tivemos a oportunidade de captar informações  dos áureos tempos do futebol, onde ALTAIR foi peça fundamental.

MAIS MEMÓRIA: Altair como foi participar da equipe do Fluminense,   tornando-se titular ainda com idade para auar nos juvenis?

ALTAIR: Foi uma oportunidade que agarrei ao treinar nas equipes de baixo.  Tive muita força do Pinheiro, do Castilho e de outros companheiros que possibilitaram entrada no time.

MAIS MEMÓRIA: Começou pela decisão de 1957 que foi uma pedreira?

ALTAIR: Um jogo diferente.  Uma decisão.  Deu tudo certo para eles e errado para nós.  Uma goleada que doeu muito, mas nos recuperamos e ainda em 1957, fomos campeões do Rio-São Paulo.  Chegamos bem ao jogo final,  jogávamos pelo empate, mas perdemos. 

MAIS MEMÓRIA: Garrincha foi fundamental neste jogo (Botafogo 6×2)?

ALTAIR: Garrincha foi um jogador extraordinário.  Ganhei e perdi jogos.  Tem jogos que tudo dá certo para um lado, foi aquele jogo.  Houve uns probleminhas que agora não vem ao caso, mas mudamos o time e a maneira de jogar e deu errado.  Falar agora, depois de muito tempo…  Mas o time do Botafogo era muito bom.  Vencemos outros jogos, também.  Participei de um 7×2 que é mais fácil para lembrarmos em 1965.

Nota: Este jogo a que Altair se refere foi realizado em 12.05.1965
FLUMINENSE 7 x 2 BOTAFOGO – gols de Antunes (2), Evaldo (2), Gilson Nunes(2)  e Amoroso para o Fluminense e Gérson e Jairzinho para o Botafogo.

MAIS MEMÓRIA: Como era se preparar para marcar o Garrincha?

ALTAIR: Naquela época tínhamos grandes atacantes pela ponta-direita.  Não era só se preparar para o jogo contra o Botafogo.  É claro que era um  jogo especial, pois ele era muito forte no arranque.  O drible era o mesmo, mas a força da arrancada era complicada.  Para se ter uma idéia na época era uma parada dura.  Sabará no Vasco, Joel no Flamengo, Calazans no América, Julinho no Palmeiras,  Doval no Santos e outros que não lembro o nome.  Era complicado.

MAIS MEMÓRIA; Deixando o Garrincha de fora, qual era o mais difícil?

ALTAIR: O Julinho era habilidoso, forte e chutava muito.  Cada um tinha suas qualidades.  Falar de um só, deixamos de falar da qualidade de outros.  Mas Julinho era muito bom.

MAIS MEMÓRIA:Fale de uma experiência com Garrincha?

ALTAIR: Foram várias, mas lembro de uma preparação para a Copa do Mundo, onde eu tinha de marcá-lo no treinamento.  Era reserva buscando espaço e garantir a ida para a Copa.  A parada era dura. Um dia ele estava treinando bem e eu fiquei preocupado com o resultado.  Cheguei para ele e disse: – Vou entrar duro se quiser me bagunçar.  Eu estava treinando normal e ele estava partindo com tudo.  Acho que estava me sacaneando para outro (lateral) ficar na seleção.  Pois peguei um lance, deixei ele levar para o fundo e cheguei junto, chutando ele, bola, tudo no alambrado.  Os médicos correram preocupados.  Ele não reclamou, mas ficou assustado.  Treinamos e fui a Copa.  Botei respeito (risos)…Na foto Jair Marinho, Pinheiro e Altair em recente encontro na Confeitaria Colombo/RJ.

MAIS MEMÓRIA: E o título do Campeonato Carioca de 1959, qual foi a sensação de ganhar pela vez?

ALTAIR:  Era um titulo muito cobiçado.  Os campeonatos estaduais eram muito importantes. As equipes eram muito fortes.  Flamengo, Vasco, Botafogo, Bangu e América disputavam realmente o título.  Além disso jogar na Bariri contra o Olaria, em Madureira, em Bonsucesso, em Moça Bonita era muito complicado.  Jogos difíceis sempre.  Foi uma alegria muito grande pois foi um título conquistado com muita dedicação.  Nosso time era bom:  Castilho; Jair Marinho, Pinheiro e Eu; Edmilson e Clóvis; Maurinho, Paulinho, Waldo, Telê e Escurinho.O técnico era o seu Zezé.(Zezé Moreira).

MAIS MEMÓRIA: Lembra do jogo final?

ALTAIR: Acho que foi contra o Madureira.  Veja bem, da Seleção Brasileira de 1958, jogavam no Rio de Janeiro: Nilton Santos, Garrincha, Dida, Zagallo, Bellini, Joel, Castilho, Didi.  Tinha muitos craques.

MAIS MEMÓRIA: E a Copa de 1962 no Chile?

ALTAIR: Foi praticamente o time de 1958.  Poucas mudanças.  Novos tínha:   eu, meu companheiro do Fluminense Jair Marinho, Amarildo do Botafogo, Jair da Costa.  A geração de 58 era muito forte.  Pelé  se machucou e o Possesso (Amarildo) deu a conta do recado.  Naquela época não tinha substituição e o time que entrava terminava o jogo.  Possivelmente se fosse hoje, teria jogado.  Mas ser reserva de Nilton (Nilton Santos) era natural, pois se tratava de um dos maiores jogadores da história.  Dei a minha contribuição e sou muito feliz com aquela conquista.

MAIS MEMÓRIA: E a Copa de 1966?

ALTAIR: Todos falam que foi uma bagunça.  Tínhamos muitos jogadores de qualidade.  Talvez a definição logo dos jogadores que iriam a Copa, teria ajudado.  Seu Feola (Vicente Feola)  tinha experiência. Depois tinha alguns jogadores contundidos.  No final foi um fiasco que serviu para outras conquistas.  Joguei duas partidas.  Vencemos uma e perdemos a outra.  Mas os jogadores tinham qualidade, tanto é que alguns foram campeões em 1970.

MAIS MEMÓRIA: Como foi passar para a quarta zaga?

ALTAIR: Acho que foi o Tim.   Tinha boa impulsão, boa colocação e passei a jogar de zagueiro, inclusive na seleção.  Foi uma experiência boa e tive bons momentos. Fui campeão carioca em 1964 já de quarto zagueiro.

MAIS MEMÓRIA: Você jogou até 1971 e encerrou a carreira indo depois trabalhar no próprio Fluminense?

ALTAIR: Foram chegando novos jogadores e naquela época com 30 anos você era considerado velho.  Ganhava passe livre e ia jogar em times pequenos.  Preferi ficar até o fnal no Fluminense.  Quando parei fui convidado para atuar nas divisões de base e durante muitos anos atuei descobrindo e formando muitos jogadores.  Antigamente era comum pegar ex jogadores como Pinheiro, Carlinhos, Nelsinho, Joel Martins e outros para atuar nos juvenis.  Tínhamos esperiência e isto ajudava. 

MAIS MEMÓRIA: Qual o significado do  Fluminense em sua vida?

ALTAIR.  Passei lá 20 anos como jogador e outros tantos como profissional das comissões técnicas.  Uma vida inteira de dedicação.  Outro dia me homenagearam com um placa em Xerém.  Fiquei muito agradecido.  Sempre que me convidam para algum evento, estou presente. Jair Marinho, Altair e Pinheiro estão sempre juntos nas homenagens.

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL.

 

PORTELA HOMENAGEIA CLARA NUNES

3 comments

Posted on 21st janeiro 2011 by Profº Izaias in Cultura Memória

, , , ,

Por Izaias Nascimento

INAUGURAÇÃO BUSTO CLARA NUNES

O GRES PORTELA estará inaugurando no próximo dia 05 de fevereiro, durante a tradicional Feijoada da Velha Guarda da Portela, o busto da ícone do samba C L A R A   N U N E S.  É mais uma vitória do MAIS MEMÓRIA no resgate da memória do país.

EVENTO: Inauguração do Busto Clara Nunes.
Local: Quadra da Portela- Rua Clara Nunes 81 – Madureira (Portelão).
Dia: 05.02.2011 (SÁBADO).
Horário: A partir das 13h00.

 

Diversas atrações estarão prestigiando a notável artista.  Familiares, músicos, compositores, profissionais de imprensa  e artistas contemporâneos e novos serão condecorados com a Medalha Clara Nunes.
O projeto foi desenvolvido pelo Instituto Mais Memória, com as seguintes parcerias:

Escultor: Professor Oseias Casanova Ferreira.
Fundição: Ademar Alcantara.
Coordenação do Projeto: Nilo Mendes Figueiredo Jr – Vice-Presidente do GRES Portela.
Assessor de Imprensa: 
violaassessoriadeimprensa@gmail.com 

Realização: GRES Portela – Administração Nilo Mendes Figueiredo. 

GRANDE SUCESSOS: Você Passa e Eu Acho Graça, Tristeza Pé no Chão, Cadência do Samba, O Mar Serenou, Morena de Angola, Canto das Três Raças, Conto de Areia, Alvorada, As Forças da Natureza, Como é Grande e Bonita a Natureza!,  Ê, Baiana,  Meu Sapato Já Furou, Guerreira, Mineira, Porta Aberta, Portela na Avenida, Quando Vim de Minas são cantados até hoje.

 

“Se vocês querem saber quem eu sou
Eu sou a tal mineira
Filha de Angola, de Ketu e Nagô
Não sou de brincadeira
Canto pelos sete cantos
Não temo quebrantos
Porque eu sou guerreira
Dentro do samba eu nasci,
Me criei, me converti
E ninguém vai tombar a minha bandeira”

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

 RESPEITO À HISTÓRIA – RESPEITO AO BRASIL

GARRINCHA, 28 ANOS SEM O ANJO DAS PERNAS TORTAS

1 comment

Posted on 19th janeiro 2011 by Profº Izaias in Botafogo Memória

, , , , , ,

Por Izaias Nascimento

GARRINCHA A ALEGRIA DO POVO – 28 ANOS DE SAUDADE

O Instituto Mais Memória relembra saudosamente Manoel Francisco dos Santos, o Anjo das Pernas Tortas, Mané Garrincha.  São 28 anos de saudade.  Seu desaparecimento em 20 de janeiro de 1983,  aos 49 anos, deixou uma lacuna insubstituível, pois a ALEGRIA DO POVO, faleceu triste, doente, com seríssimos problemas de saude.  Deu tantas alegrias e merecia melhor sorte, porém foi o que construiu para sua vida. Nossa homenagem começa com uma citação do nosso poeta maior e não objetiva, registrar dados ou pormenores da carreira do grande ídolo, todavia, lembrar de uma trajetória vitoriosa, acima de tudo.

Cquote1.svg

Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.

CARLOS DRUMOND DE ANDRADE

 

Cquote2.svg

 

GARRINCHA JOGOU PELOS SEGUINTES TIMES: Botafogo (1953-1965), Corinthians em  1966, teve depois jogos amistosos por Portuguesa/RJ, Alecrim e outros clubes.  Voltou a jogar profissionamente pelo Flamengo em 1968 e fêz 10 jogos pelo Olaria em 1971.

Títulos:

.Pelo Botafogo: Campeão Carioca em 1957, 1961 e 1962. Torneio Rio São Paulo 1962 e 1964;

 . Pelo Corinthians Rio-São Paulo de 1966.

Seus melhores momentos foram pelo Botafogo, sobretudo nas finais dos campeonatos carioca vencidos pelo alvinegro.

O extraordinário drible e potente chute de direita levaram muitas alegrias, sobretudo, aos torcedores do Botafogo.

Dois companheiros fundamentais no Botafogo e na Seleção Brasileira: Nilton Santos e Didi.

GARRINCHA MENINO – A foto acima, pertence a coleção de Renan Gavioli e foi publicada no Blog do Roberto Porto. Em pé, Gérson dos Santos, Gílson, Nílton dos Santos, Arati, Bob e Juvenal; agachados: GarrinchaGeninho, Dino da Costa, Carlyle  e  Vinícius.

O fabuloso drible e arrancada.  Alegria do povo do Botafogo.

As defesas atentas e com cobertura de dois ou mais jogadores.

Vitorioso e consagrado pelas conquistas no Botafogo.

Corinthians em 1966: destaques Jair Marinho (seu companheiro do bicampeonato no Chile/1962), Dino Sani (companheiro do título na Suécia em 1958) e Flávio Minuano.

Passagem obscura no Corinthians.

A tentativa do retorno no Flamengo, porém sem as devidas condições.

Garrincha: apenas 10 jogos pelo Olaria.

Jogo amistoso pelo Vasco da Gama.

Santos e Botafogo: encontro de craques.

Um grande Botafogo de Garrincha: Bi-campeão carioca de 1962, que conquistou a vaga para a Taça Libertadores de 1963, com vice campeonato da Taça Brasil: Paulistinha, Manga, Jadir, Nílton Santos, Aírton e Rildo; Garrincha, Edson, Quarentinha, Amarildo e Zagallo.

Botafogo em 1964, com a chegada de Gérson, Jairzinho e Roberto Miranda.

Garrincha deixará sempre saudades em todos apaixonados pelo futebol.  Quem o viu pelo significado de ter presenciado um dos mais magistrais jogadores de todos os tempos.  Nós,  e outros,  que apenas conheceram o formidável legado do Anjo das Pernas tortas, temos o  dever de reverenciá-lo.

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL.

CAMPEONATO CARIOCA 2011 E HISTÓRIAS DA COMPETIÇÃO

2 comments

Posted on 16th janeiro 2011 by Profº Izaias in Futebol Memória

,

Por Izaias Nascimento

CAMPEONATO CARIOCA 2011 E HISTÓRIAS DA COMPETIÇÃO

O INSTITUTO MAIS MEMÓRIA apresenta um quadro geral de informações sobre o Campeonato Carioca de 2011 e  dados históricos da competição.

PRIMEIRO TURNO – TAÇA GUANABARA

De 19 de janeiro a 13 de fevereiro em 7 rodadas.  Semifnais em 19   e 20 de fevereiro.  Final em 27 de fevereiro.

SEGUNDO TURNO – TAÇA RIO DE JANEIRO 

De 05 de março a 17 de abril. Semifinais em 24 e 25 de abril.  Final do segundo turno em 01 de maio.

Caso haja necessidade de finais com vencedores dos turnos, as datas previstas são 8 e 15 de maio. 

CAMPEÕES

CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO – 31 TÍTULOS

FLUMINENSE FUTEBOL CLUBE – 30 TÍTULOS

CLUBE DE REGATAS VASCO DA DAMA – 22 TITULOS

BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS – 19 TÍTULOS

AMÉRICA FUTEBOL CLUBE – 7 TÍTULOS

BANGU ATLÉTICO CLUBE – 2 TÍTULOS

PAISSANDU – 1 TÍTULO

SÃO CRISTOVÃO – 1 TÍTULO

<b>bola</b> de <b>futebol</b> 02 - Cliparts

PRINCIPAIS ARTILHEIROS

ROMÁRIO - 7 VEZES – 1986,1987, 2000 (Vasco), 1996, 1997, 1998 e 1999 (Flamengo).

ZICO – 6 VEZES – 1975, 1977, 1978, 1979, 1979 e 1982.


 
 OS MAIORES GOLEADORES

1.PIRILLO do Flamengo - 39 gols, em 1941.

2. Zico do Flamengo – 34  gols em 1979.

3. Carvalho Leite do Botafogo – 32 gols, em 1939.

4. Ademir Menezes do Vasco – 31 gols, em 1949.

5. Roberto Dinamite do Vasco, 31 gols, em 1981.

6. Nilo do Botafogo – 30 gols, em 1927.

7. Leônidas da Silva do Flamengo – 30 gols- em 1940.

8. Zico do Flamengo – 20 gols, em 1975.


 
 
OS TÉCNICOS MAIS VENCEDORES

FLÁVIO COSTA – 8 VEZES – Flamengo (1939,1942, 1943, 1944 e 1963)- Vasco da Gama (1947, 1949 e 1950).

JOEL SANTANA – 8 VEZES – Vasco (1987, 1992 e 1993), Flamengo (1996 e 2008), Fluminense (1995) e Botafogo (1987 e 2010).

ZAGALLO – 5 VEZES – Botafogo (1967 e 1968), Fluminense (1971) e Flamengo (1972 e 2001).


 

CENAS DE UMA HISTÓRIA DE RIVALIDADES:

 

América em seu último título em 1960.


Botafogo de Garrincha em 1962, final 3-0 contra o Flamengo.  É considerada uma das maiores exibições de Mané.

Fluminense na conquista de 1964.

Flamengo campeão em 1965 (quarto centenário da cidade) sob o comando de Silva Batuta.

Bangu campeão de 1966.  Seu último título sob o comando do extraordinário atacante Paulo Borges.

Botafogo bicampeão em 1967 e 1968, com a famosa linha Rogério, Roberto, Jair e Paulo César. 

Vasco campeão em 1970, depois de 12 anos sem título, sob o comando de  Silva Batuta e Tim (técnico) no banco.

Fluminense campeão em 1971, numa disputa que parecia ser o Botafogo o vencedor.  Gol de Lula aos 42′ do segundo tempo.  Final histórica.

Flamengo campeão carioca em 1972.  Na foto aparece Wanderley Luxemburgo que não era titular, e sim, Rodrigues Neto que estava contundio na final, cuja vitória foi de 2-1 sobre o Fluminense, com gols de Caio e Doval.

Flamengo campeão em 1974 – Primeiro título de Zico.  O argentino Doval foi o grande nome da conquista.

O primeiro título de Rivellino na máquina de 1975.  Último título do vitorioso goleiro Félix.

O bicampeonato da máquina de 1976.  Destaque para Paulo César Lima, Doval  e Rivellino.

Vasco campeão em 1977 – Primeiro título estadual de Roberto Dinamite e quinto de Marco Antônio.

Flamengo campeão carioca em 1978, no famoso gol de Rondinelli aos 43′ do segundo tempo.  Este gol, salvou uma geração.

O Flamengo era o favorito, mas quem venceu foi o Fluminense de Cláudio Adão.

Vasco da Gama campeão em 1982 no primeiro título do vitorioso  técnico Antônio Lopes.  Na foto falta o veterano Palhinha, com passagens vitoriosas por Cruzeiro e Corinthians.

O tricampeonato de 83/84/95 do Fluminense.  Na final do tri, vitória de 2-1 sobre o Bangu, com gols de Romerito e Paulinho.

Vasco campeão em 1987, sob o comando de Roberto Dinamite, mas com jovens promessas como Dunga e Romário.

Botafogo campeão em 1989, após 21 anos sem títulos.  O gol de Maurício é histórico num time de grandes jogadores como: Mauro Galvão, Gottardo, Paulinho Criciuma, Luisinho, Vitor dentre outros.

O Fluminense campeão em 1955, no famoso gol de barriga de Renato Gaúcho, na verdade chute de Ailton.  Vitória de 3-2 sobre o Flamengo.

Flamengo no tricampeonato de 1999, 2000 e 2001.  Gol de Petkovic no final do jogo contra o Vasco é histórico.  Flamengo 3-1 Vasco.

Flamengo tricampeão em 2007/2008 e 2009, sob o comando de Fábio Luciano.

Botafogo o último campeão em 2010, sob o comando de Loco Abreu.

 

GOLS HISTÓRICOS

 

VASCO CAMPEÃO NOS PENALTIS- ROBERTO DINAMITE

Flamengo e Vasco da Gama jogaram a final do segundo turno do Campeonato Carioca.  Vencendo o Vasco, seria campeão direto.  Jogo dramático, 0-0 tempo normal e 0-0 na prorrogação.  Já era de madrugada no Maracanã.  Coube a Roberto bater o último penalti no gol de Cantarelli,  Tita havia perdido pelo Flamengo. Vasco campeão carioca e Roberto ganhou seu primeiro carioca na carreira.

MAURÍCIO ACABA COM  O JEJUM DO BOTAFOGO

O Botafogo havia conquistado seu último título de campeão em 1968.  Portanto já se passavam 21 sem conquistas.  O Botafogo chegou a final contra o Flamengo.  Empatara o primeiro jogo.  No segundo, conseguiu com o gol de Maurício tirar o grito da garganta de campeão.  Zico acabara de sair, mas o time do Flamengo era forte.  Cruzamento da esquerda de Mazolinha (que era reserva) sobre a área.  Maurício desloca Leonardo e marca no gol de Zé Caros. Botafogo campeão depois de 21 anos. 

RENATO GAÚCHO MARCA DE BARRIGA E DÁ O TÍTULO AO FLUMINENSE

Flamengo e Fluminense decidiam o título com vantagem para o Flamengo.  Fluminense fez 2-0 com gols de Renato e Leonardo.  Flamengo empatou no segundo tempo com Romário e Fabinho.  Parecia que o título iria para a Gávea.  Mas depois de 42′ do segundo tempo, Ailton – meia que viera do Flamengo, faz extraordinária jogada, chuta e Renato Gaúcho de Barriga coloca para dentro.  Foi o título mais comemorado pelos tricolores nos últimos anos.  Contra o Flamengo e com gol de barriga.  Histórico.

PETKOVIC em 2001 contra o VASCO DA GAMA

42′ MINUTOS DO SEGUNDO TEMPO.  O Flamengo vencia por 2-1 e precisava de mais um gol, para ganhar o título no saldo de gols.  Perdera o primeiro jogo por 2-1.  Este resultado dava o título ao Vasco.  Depois de perder vários gols, o Vasco comete uma falta na intermediária.  Petkovic bate com categoria e coloca no ângulo de Helton.  Estava decretada uma das mais extraordinárias vitórias do Flamengo – 3-1.  Tricampeão Carioca.

 

P E R S O N A G E N S

 

NILTON SANTOS – Campeão em 1948, 1957, 1961 e 1962.

ZÉ MÁRIO – Campeão 1972 e 1974 (Flamengo), 1976 (Fluminense) e 1977 (Vasco da Gama).

Zé Mário marcando Zico.

ROBERTO MIRANDA – Campeão em 1962, 1967 e 1968 (Botafogo).

PINHEIRO – Campeão em 1951 e 1959 (Fluminense)

DOVAL – Campeão em 1972, 1974 (Flamengo) e 1976 (Fluminense).

EDUZINHO -Venceu a Taça Guanabara de 1974.  Jogou ainda por Vasco da Gama- vice em 1975 e Flamengo em 1976.

DOMINGOS DA GUIA – Campeão em 1934 (Vasco da Gama), 1939, 1942 e 1943  – Flamengo.

PAULINHO VALENTIM – Campeão Carioca eartilheiro em 1957 pelo Botafogo.

PAMPOLINI – Campeão Carioca em 1957, 1961 e 1962 pelo Botafogo.

VALDO – Campeão pelo Fluminense em 1959.

ANDRADA – Campeão pelo Vasco da Gama em 1970.

ALADIM – Campeão pelo Bangu em 1966.

MARCO ANTÕNIO – Campeão em 1969, 1971, 1973, 1975 (Fluminense) e 1977 (Vasco da Gama).

TOSTÃO – Jogou o Campeonato Carioca de 1972 pelo Vasco da Gama. Não foi campeão.

BAUER – Jogou o Campeonato Carioca pelo Botafogo em 1956.  Não foi campeão.  Pelo São Paulo foi diversas vezes campeão paulista.Primeiro da direita para a esquerda (em pé).

GÉRSON CANHOTINHA – Campeão em 1963 (Flamengo), 1967 e 1968 (Botafogo) e 1973 (Fluminense).

SILVA BATUTA – Campeão em 1965 (Flamengo) e 1970 (Vasco da Gama).

FÉLIX – Campeão em 1969, 1971, 1973 e 1975 (Fluminense).

PAULO CÉSAR LIMA (CAJU) – Campeão em 1967/1968 (Botafogo), 1972 (Flamengo) e 1975/1976 (Fluminense).

DELEY – Campeão em 1980, 1983, 1984 e 1985 (Fluminense).

ROBERTO DINAMITE – Campeão em 1977, 1982, 1987, 1988 e 1992 (vasco da Gama).

.

ALTAIR – Campeão em 1959, 1964 e 1969 (Fluminense).

ROMÁRIO – Campeão em 1987, 1988 (Vasco da Gama), 1996 e 1999 (Flamengo).

GILSON NUNES – Campeão em 1964 (Fluminense), 1970 (Vsco da Gama) e 1974 Taça Gunabara pelo América.

JUNIOR – Campeão em 1974, 1978, 1978, 1979, 1981, 1991 (Flamengo)

UBIRAJARA MOTTA – Campeão em 1966 (Bangu), 1972 e 1974 (Flamengo).

CLÁUDIO ADÃO – Campeão em 1978 (Flamengo) e 1980 (Fluminense).

GARRINCHA – Campeão em 1957, 1961 e 1962 (Botafogo).

DIRCEU – Campeão em 1976 (fluminense) e 1977 (Vasco da Gama).

RENATO (goleiro) – Campeão em 1972 e 1974 (Flamengo) e 1976 (Fluminense).

ROBERTO RIVELLINO – Bicampeão em 1975 e 1976 (Fluminense).

SÓCRATES – Campeão em 1986 (Flamengo).

NUNES – Campeão em 1981 (Flamengo).

JAIR ROSA PINTO – Campeão em 1945 e 1947 (Vasco da Gama).

MANGA – Campeão em 1962 e 1967 (Botafogo).

PALHINHA – Campeão em 1982 (Vasco da Gama).

ASSIS – Tricampeão 1983/1984/1985 (Fluminense)

JAIRZINHO – Campeão em 1962, 1967 e 1968 (Botafogo).

LULA – Campeão em 1969, 1971 e 1973 (Fluminense).

CLEBER – Campeão em 1973, 1975, 1976 e 1980 (Fluminense).

CARLOS ALBERTO TORRES – Campeão em 1964 (Fluminense) vice 1971 (Botafogo) e campeão 1976 (Fluminense).

DENILSON – Rei Zulu – Campeão em 1964, 1969, 1971 e 1973 (Fluminense).

QUARENTINHA – Campeão em 1957, 1961 e 1962 (Botafogo).

FIDÉLIS – Campeão em 1966 (Bangu) e 1970 (Vasco da Gama).

PAULO BORGES – Campeão em 1966 (Bangu).

FLÁVIO MINUANO – Campeão em 1969 e 1971 (Fluminense).

MARINHO CHAGAS – Não foi campeão. Jogou de 1972 a 1978, por Botafogo e Fluminense.

ROMERITO – Campeão em 1984 e 1985 pelo  Fluminense.

AMARILDO – Campeão em 1961 e 1962 (Botafogo).

MAURICIO – Campeão em 1989 (Botafogo).

ZIZINHO – Tricampeão 1942/43/44 pelo Flamengo

HELENO DE FREITAS – Campeão em 1949 (Vasco da Gama).

DIDI – Campeão em 1951 (Fluminense), 1957 e 1962 (Botafogo).

WASHINGTON -Tricampeão Fluminense em 1983/84/85 (Fluminense) e campeão em 1989 (Botafogo).

MARINHO – Vice em 1985 (Bangu) e Campeão 1989 (Botafogo).

SAMARONE – Campeão em 1969 (Fluminense).

ROGÉRIO – Campeão em 1967 e 1968 (Botafogo) e 1972 (Flamengo).

CASTILHO – Campeão em 1951, 1959 e 1964 (Fluminense).

PAULO HENRIQUE – Campeão em 1961, 1963, 1965, 1972 (Flamengo) e vice em 1971 (Botafogo).

ZANATA – Campeão em 1972 e 1974 (Flamengo) e 1977 (Vasco da Gama).

 INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RSPEITO AO BRASIL.

A SOLIDARIEDADE DO SANTOS FUTEBOL CLUBE

2 comments

Posted on 15th janeiro 2011 by Profº Izaias in Eventos |Santos Memória

, , , ,

Por Izaias Nascimento

 
SANTOS PROMOVE LEILÃO EM PROL DAS VÍTIMAS DO RIO DE JANEIRO

 
O Instituto Mais Memória divulga a espetacular  iniciativa do Santos Futebol Clube, em prol das vitímas das chuvas das cidades do Rio de Janeiro (Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis).

O Santos FC promoverá o leilão de três camisas para ajudar as vítimas das chuvas no Rio de Janeiro. As peças são a tradicional 3 do lateral esquerdo Léo, autografada por todo o elenco masculino e com o logo da WWF-BRasil; a camisa da Rainha Marta, utilizada na final do Mundialito, neste sábado, com as assinaturas de todas as Sereias; e uma camisa da Seleção Brasileira Sub-20, do craque Neymar, com autógrafos do elenco que disputará o Pré-Olímpico no Peru.

O leilão terá início na tarde de 17 de janeiro em parceria com o portal Mercado Livre e terá duração de dez dias. O lance inicial é de R$ 3 mil. Quem der o maior lance também poderá optar por vir até Santos receber os prêmios das mãos do elenco santista, no CT Rei Pelé, e também poderá assistir a uma partida do Santos FC com acompanhante ao lado do presidente do Clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, no camarote da presidência. O resultado será divulgado pelo Clube no próximo dia 27.

“É uma atitude do elenco e do Clube. A camisa vai ser autografada por todos os jogadores para servir para as vítimas do estado do Rio. Eu sou de lá particularmente e estamos acompanhando todo esse drama que está todo mundo vivendo. A Marta vai fazer também no feminino e o Neymar na Seleção Sub 20. É uma atitude bonita do Santos, com todos seus atletas, para que essas vítimas possam ser ajudadas”, afirma Léo.

MAIS INFORMAÇÕES
Arnaldo Hase
Coordenador de Comunicação
Santos Futebol Clube

www.santosfc.com.br

Marta Camisa 10 do Santos – camisa a ser leiloada

Camisas de Léo e Neymar também serão leiloadas.

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL

OS 79 ANOS DE PINHEIRO, ETERNO ÍDOLO DO FLUMINENSE

2 comments

Posted on 14th janeiro 2011 by Profº Izaias in Fluminense Memória |Futebol Memória

Por Izaias Nascimento

OS 79 ANOS DE PINHEIRO, ETERNO ÍDOLO DO FLUMINENSE

O Instituto Mais Memória imensamente feliz, comemora o aniversário de João Carlos Batista Pinheiro, o ídolo eterno do Fluminense, nascido na Cidade de Campos/RJ, em 13 de janeiro de 1932.

Pinheiro, agora tijucano. 

 

 A ETERNA ZAGA – CASTILHO, PINDARO E PINHEIRO

 

ÍDOLO de várias gerações como jogador, tecnico, responsável pelas divisões de base, o eterno craque sempre é lembrado por todos, pela carreira vitoriosa, na famosa defesa – Castilho, Píndaro e Pinheiro, eternizada por anos de sucesso nas Laranjeiras.

Hoje, morador da Tijuca é visto com frequência no Tijuca Tennis Clube, onde Paulo Maciel e associados o recebem com enorme carinho.  No Instituto Mais Memória é titular de todos os eventos, sempre requisitado pela experiência, papo e presença marcante por onde passa.

TÍTULOS 

- Campeão Carioca pelo Fluminense em 1951 e 1959;

-Campeão Mundial Interclubes no Rio de Janeiro (Copa Rio) em 1952 pelo Fluminense;

-Campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1957 e 1960.

Pela Seleção Brasileira foi campeão do Pan-americano de 1952, primeiro título internacional do Brasil, juntamente com Castilho, Djalma Santos, Nulton Santos, Bauer, Julinho, Ademir Menezes e outros inesquecíveis craques.

Pinheiro disputou o sulamericano de 1953 e a Copa do Mundo da Suiça em 1954, quando o Brasil caiu perante a Hungria de Puskas, nas oitavas-de -final por 4-2.

Como técnico atuou no América/RJ, chegando ao terceiro lugar numa semifinal épica contra o São Paulo, que se tornaria campeão no ano de 1986.

Treinou o Bangu, em seus tempos áureos, conquistando a Taça Rio de 1987.

Atuou também no Cruzeiro e América/MG e vários clubes do mundo Árabe.

 FLUMINENSE CAMPEÃO CARIOCA EM 1951


 

FLUMINENSENSE 1951

FLUMINENSE CAMPEÃO DA COPA RIO 1952

Fluminense campeão da Copa Rio de 1952. Em pé: Pindaro. Edson. Jair Santana. Bigode. Castilho e Pinheiro. Agachados: Telê Santana. Didi. Carlayle. Orlando e Quincas. Crédito: Esporte Ilustrado 1951.

 
 

Fluminense 1957 – Campeão Rio-São Paulo e Vice-Campeão Carioca


Este é o Fluminense vice-campeão carioca de 1957 e Campeão do Torneio Rio-Sâo Paulo. Em pé estão Vitor Gonzales, Pinheiro, Altair, Jair Santana, Roberto e Castilho; ajoelhados estão Paulinho, Ivan, Jair Francisco, Cacá e Robson; sentados estão Clóvis, Valdo, Telê Santana, Léo e Escurinho

 
 

Pinheiro e Professor Izaias Nascimento nas dependências do Instituto Mais memória.

 

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL

 

 

O ADEUS, DO ÍDOLO LEANDRO GUERREIRO

1 comment

Posted on 14th janeiro 2011 by Profº Izaias in Botafogo Memória

, ,

Por Izaias Nascimento

LEANDRO GUERREIRO – ADEUS DE UM ÍDOLO

O Instituto Mais Memória manifesta o respeito e apreço ao jogador Leandro Guerreiro, notório profissional de futebol, que ontem, despediu-se do clube da estrela solitária, transferindo-se para o Cruzeiro/MG.

O Botafogo de tantos craques na história como Leônidas da Silva, Nilton Santos, Otávio, Heleno, Garrincha, Bauer, Quarentinha,  Zagallo, Manga,  Amarildo, Gérson, Roberto Miranda, Paulo César Caju, Carlos Alberto Torres, Marinho Chagas, Jairzinho, Mário Sérgio, Mendonça, dentre outros, teve também em sua história jogadores que marcaram época, pela dedicação e senso profissional ao ventir a camisa alvinegra.

Queremos destacar Valtencir, Carlos Roberto, Wilsom Gottardo, Gonçalves, Paulo Sérgio, Pampolini, Carbone, Vitor, Carlos Alberto Santos, Dirceu, Nilson Dias, Brito, Gil, Berg, Josimar, dentre vários nomes, que se tornaram ídolos pelas aguerridas partidas, dedicação, valentia e como diz o torcedor das arquibancadas: – ” suavam a camisa” de fato.

Neste contexto que enquadramos -   Leandro Luchese Guerreiro e o homenageamos pelos anos dedicados ao Botafogo, onde entrou em campo por 222 partidas.  Jamais se ouvirá de um torcedor do Botafogo ou de adversários, que o profissional Leandro Guerreiro não honrou a camisa do clube.  Foi e sempre será um lutador, demonstrando seu elevado senso de responsabilidade e profissionalismo.

Jogando numa posição de marcação aos principais atacantes adversários, não se conhece uma atitude de violência de Leandro Guerreiro.  Poucas vezes recebeu cartão vermelho, ou ficou de fora por cartões amarelos.  Raras contusões e uma imagem consolidade pelo público em geral, como um jogador realmente profissional.

Leandro Guerreiro nasceu em São Borja/RS, em 17 de novembro de 1978.  Iniciou sua carreira no Internacional, passando depois por: Guarani, Salemitana/Itália, Napoli/Itália, Ponte Preta, Pescara/Itália, Criciúma e Botafogo no qual chegou em 2007.

Títulos

Criciúma
  • Campeão Brasileiro – Série C – 2006.
Botafogo
  • Taça Rio: 2007, 2008 e 2010.
  • Taça Guanabara: 2009 e 2010.
  • Campeonato Carioca: 2010.

Dedicação e raça: marcas de Leandro Guerreiro.

Campeão da Taça Guanabara de 2009, com uma atuação soberba contra o Resende.

Botafogo - Campeão da Taça  Guanabara 2009 Wallpaper Download

Merecidamente vibrando com mais uma conquista.

Campeão da Taça Rio 2007.

Campeão Carioca em 2010.  Um jogador fundamental no esquema do vitorioso técnico Joel Santana.

Leandro Guerreiro com o Professor Izaias Nascimento na festa de aniversário de Nilton Santos.

O tributo a Leandro Guerreiro, profissional de elevado nível profissional, que deixará saudades. Ao se despedir, falou que pensa em voltar ao Botafogo, para atuar em outras funções.  O seu passado, abrirá portas no futuro. Imagem e comportamento infalíveis.

Vida vitoriosa no Cruzeiro.

 

INSTITUTO MAIS MEMORIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL

MAURÍCIO MENEZES – PLANTÃO DE NOTÍCIAS

0 comments

Posted on 13th janeiro 2011 by Profº Izaias in Eventos

,

Por Izaias Nascimento

O Instituto Mais Memória reproduz matéria do blog do Iata Anderson, sobre o show do fabuloso comediante MAURÍCIO MENEZES.

Taí o que você queria.Mauricio Menezes está de

volta com seu Plantão de Notícias.Especial para

jornalistas, estudantes de jornalismo e

leigos.Veja como as coisas acontecem nos

bastidores das redações.E ria muito. Não dá

para perder essa chance.Todos lá no Vanucci.

 

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA.  RESPEITO AO BRASIL.