ESCURINHO DO FLUMINENSE FESTA DOS 80 ANOS

2 comments

Posted on 20th julho 2010 by Profº Izaias in Aniversário

, , ,

 

 

Por Izaias Nascimento

 

O Blog.maismemoria.net felicita Escurinho e sua família, pela brilhante festa de seus oitenta anos e mostra detalhes do contagiante encontro de craques da geração do grande ponta-esquerda tricolor.

 

clip_image002 

 

 

 

 

 

 

clip_image004 

Em festa organizada por sua família, no Méier, o ex-ponta-esquerda Escurinho, Fluminense, comemorou 80 anos, com a presença de companheiros e colegas do clube, entre eles,  Pinheiro, Jair Santana, Adalberto, Cacá, Jair Marinho, Altair, Nono, Emilson e Roberto Miranda. Com a alegria contagiante do homenageado, muito querido entre aqueles que com ele conviveram e admiram, foi um dia inesquecível e como diria, nosso grande Deni Menezes: ¨o dia foi pequeno para tantos abraços¨.

Relembraram fatos da carreira, como a Campanha de 1959, que levou o tricolor a um título carioca,  que não ocorria desde 1951, e destacaram  a passagem  de Escurinho pela seleção brasileira, atuando no ataque  com Garrincha, Didi, Walter e Evaristo.

Sempre muito sorridente, uma característica marcando do ex-atleta, Escurinho acompanhou, ao lado da família, uma exposição de fotos no telão, com fundo musical de Nélson Gonçalves – A volta do Boêmio – e de Zeca Pagodinho – Deixa a vida me levar.

Recebeu da ALERJ – Casa Legislativa do Rio de Janeiro, Moção de Louvor pela passagem dos seus 80 Anos com muita emoção e atento às palavras do  Deputado – Francisco de Carvalho (Chiquinho da Mangueira), torcedor do Vasco, mas também admirador do homenageado, autor da Moção.

O Fluminense Futebol Clube através de seu vice-presidente de Marketing – Daniel Bastos – condecorou o ex-atleta com a Medalha Mérito Olímpico e a placa pelos 100 do tricolor numa lembrança muito merecida a quem deu mais de dez anos de vida ao clube que o projetou.

O telão mostrando a seqüência de fotos recebida por todos em silêncio total, lembrando da vida de Escurinho na concentração com os companheiros; recebendo instrução de seu treinador; disputando lances com a camisa tricolor; marcando gols; vibrando e correndo para a torcida tricolor.  Dando a volta olímpica e fazendo um lance inesquecível no Fla x Flu de 1963, quando no último minuto, tentou encobrir o goleiro Marcial, que defendeu, tirando o título do Fluminense.

Passados quarenta e sete anos o lance contra Marcial está vivo, brilha nos olhos do ponta-esquerda – era o lance de sua vida.  Mas estava lá para cumprir seu papel, não de fazer o gol, e sim, de lutar e isso ele fez como sempre.  As fotos em família, no carnaval, com seus animais de estimações, nas viagens e das pessoas que se foram eram comentadas com emoção.

Depois do emocionado parabéns pra você, todos cantaram o   hino do Fluminense, só faltando o pó de arroz e a galera soltando fogos. Uma grande noite tricolor, comemorada como uma vitória num FlaxFlu ou qualquer decisão de campeonato. Organizada pela família, a homenagem a Escurinho foi idealizada e teve o suporte do Instituto Mais Memória, que resgata os grandes momentos do futebol brasileiro e mundial.

 

clip_image006clip_image008

O bolo com as cores do tricolor e a bela e competente repórter Bruna Gosling – neta do médico da Seleção das Copas de 1958 e 1962 – Hilton Gosling.

 

clip_image009 

 

Escurinho observa ao lado da filha Rosa, a exposição com fatos e fotos de sua carreira.

 

clip_image010 

 

Escurinho abraça Pinheiro, observado por Altair. Companheiros do título de campeão carioca de 1959. Foto: Vitor Marano/Mais Memória.

 

clip_image011 

Adalberto, Roberto Miranda, Nono, Jair Santana, ESCURINHO, Cacá, Pinheiro, Jair Marinho, Pinheiro e Altair – encontro de craques nos 80 anos do ponta-esquerda. Foto: Vitor Marano/Mais Memória.

clip_image012

Altair, Pinheiro, Prof Izaias Nascimento, ESCURINHO e Jair Marinho em noite contagiante. Foto: Vitor Marano/Mais Memória.

clip_image013

Ataque demolidor: Garrincha, Walter, Evaristo de Macedo, Didi e ESCURINHO.

2 Comments
  1. Omar Padilla Ramirez says:

    El Conejo le apodaron en Barranquilla cuando jugo para el Junior en 1966 no hizo casi goles pero si puso muchos pases de gol para que los anotara Dida, Airton de la belleza u othon valentin, Botejara u othon dacunha todos brasileros que jugaron para el equipo amado de barranquilla, hasta le hicieron una cancion cuando al fin hizo un gol. Gracias por tanta felicidad que le brindaste a esta ciudad, Atentamente Omar Padilla Ramirez

    20th julho 2010 at 2:37

  2. vucetapelosa says:

    Nao fale mentirinhas, meu Padilla Ramírez: Escurinho nao jogo en nengun Junior. Barranquilla nao essiste en mapa alguno. Pura imaginassion de voce. Nao fumes yerba verde. E danhina para la mente. Dedica tuo tempo a acunar a os nietos.

    Muito Obrigado

    20th julho 2010 at 22:23

Deixe um comentário